27/04/2015 às 10h48 - Atualizado em 27/04/2015 às 10h48

FNTSUAS: reunião executiva discute qualificação para participação em mesas e conferências

Nos últimos dias 17 e 18 de abril, aconteceu em Brasília a reunião executiva do Fórum Nacional de Trabalhadoras e Trabalhadores do SUAS (FNTSUAS). O encontro teve como uma das principais atividades a definição e, por meio de oficina, a qualificação dos profissionais do fórum que farão parte das mesas de gestão de trabalho do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).

A oficina foi coordenada pela secretaria executiva da mesa de negociação do Sistema Único de Saúde (SUS) e também por uma especialista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). “Eles apontaram a importância da mesa, o regramento formal de funcionamento delas, as fases e os percursos para serem realizadas. Em seguida, foi organizado um processo de esclarecimentos com os participantes, reforçando o papel de cada um e as dificuldades e os desafios que virão”, destacou Leovane Gregório, representante do Conselho Federal de Psicologia (CFP) no FNTSUAS.

O III Seminário do FNTSUAS, que acontece nos dias 25 e 26 de junho, em Curitiba, foi outro assuntou debatido pela coordenação executiva. Para o também representante do CPF no fórum, Enrico Braga, a importância desse evento deve-se “à abordagem de experiências e o diálogo com as atribuições e ocupações de ensino médio e fundamental, no intuito da não precarização do trabalho na Assistência Social”. O seminário terá como temática a resolução nº 09, de 2014, do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS): “O (A) trabalhador (a) de nível fundamental e médio no SUAS : perspectivas de atuação e a desprecarização do trabalho”.

A coordenação executiva também discutiu um  documento orientador da participação de trabalhadores em conferencias de assistência social. A proposta foi organizar diretrizes para que os profissionais fiquem atentos quanto às datas das conferências e a defesa dos itens relacionados à pauta da categoria. Para Leovane Gregório, “a reunião foi importante por tratar de questões que há muito tempo o fórum vem discutindo, como o caso da mesa do MDS, e também a organização e a qualificação dos trabalhadores para participarem das conferências”.